O “68” do Catolicismo Brasileiro e sua Atualidade: o exemplo da Diocese de Nova Iguaçu