Novos atores globais e “nova ordem internacional”: o mundo no início do século XXI